Andressa

quinta-feira, 7 de julho de 2011

JUVENIS- LIÇÃO 24- DIZIMO E OFERTA: PRIVILÉGIO OU OBRIGAÇÃO?

JUVENIS- LIÇÃO 24- DIZIMO E OFERTA: PRIVILÉGIO OU OBRIGAÇÃO?

Texto bíblico: Ml 3.10, 11 e 12

Alvo: Ensinar a importância e a fidelidade do dizimo e da oferta.


Introdução: A Bíblia ensina caminhos, posturas que devemos ter em nossa vida a fim de que as bênçãos do Senhor nos acompanhem. Um desses caminhos diz respeito ao dízimo e a oferta. Este assunto é muito discutido, mas não bem entendido por nós. Nesta lição vamos aprender sobre o dízimo e a oferta, o significado, e a origem na Bíblia, o privilégio de praticá-los e o porquê.

PALAVRA RADICAL
Significado do Dízimo: A palavra "dízimo" significa simplesmente "a décima parte". O dízimo sempre está relacionado com a fé em Deus e com a separação da décima parte dos bens ou possessões para o uso especial, de acordo com a ordem de Deus. Eis algumas passagens que tratam do dízimo na Bíblia:

Dízimo

(Gn 14:17-24) relata a entrega por Abraão do dízimo de tudo quanto possuía a Melquisedeque. Esse senhor de nome difícil era rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo. Abraão, homem rico, poderoso, não tinha nenhuma obrigação com reis dessa terra. O trecho lido mostra a atitude de Abraão diante do rei de Sodoma, independente, igual para igual. Porém com nosso outro personagem foi diferente; Abraão se humilhou, reconheceu sua inferioridade, foi abençoado e entregou seu dízimo. Abraão, dizimando, honrou a Deus, reconhecendo sua soberania sobre seus bens, sua casa, sua vida. Antes que a lei existisse, Abraão mostrou fidelidade a Deus.

(Malaquias 3.; Ageu 1) Israel viveu durante anos assolado, sob ruínas, constante dominação e humilhação. Por diversas vezes, foi chamada atenção pelos seus profetas como Ageu, Malaquias que alertaram sobre o estado na época, como conseqüência da não entrega dos dízimos. Mais que o desleixo com a casa de Deus, isso mostrava a insubmissão do povo a Deus, a infidelidade. Quando deixamos de dizimar somos insubmissos a Deus. Não dizimar traz conseqüência, é o que Ageu descreve em Ag 1:6. (Líder leia a referência). A conseqüência de não dizimar é que damos lugar para que o espírito “devorador” atue na nossa área financeira, devorando tudo o que temos.

Oferta
Paulo, escrevendo às igrejas, ensina que deveriam fazer coletas, nas quais os servos dariam segundo a sua prosperidade ("Quanto à coleta para os santos, fazei vós também como ordenei às igrejas da Galácia. No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade, e vá juntando, para que se não façam coletas quando eu for." 1Co 16.1-2). Uma ação de amor, generosidade e alegria ("E isto afirmo: aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura, com abundância também ceifará. Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria. Deus pode fazer-vos abundar em toda graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, ampla suficiência, superabundeis em toda boa obra, como está escrito: Distribuiu, deu aos pobres, a sua justiça permanece para sempre." 2Co 9.6-9).

Não havia uma definição de quantidade as ofertas eram segundo as posses da cada um. Este mesmo entendimento devemos ter hoje ao ofertar. As ofertas são usadas na manutenção do templo, pagar as despesas do templo (aluguel, material de limpeza, luz, água, etc. No auxílio do pastor. A oferta deve ser uma extensão do compromisso que temos com Deus e com a propagação do seu Reino. A oferta é a entrega da nossa vida no altar de Deus como resposta às suas misericórdias.
Muitos têm perdido o privilégio das bênçãos de Deus, por se mostrarem egoístas no contribuir.

O Adolescente o Dizimo e a oferta

Muitos adolescentes se esquecem de dar o dízimo e a oferta, vão para o culto e para célula e nem se lembram das suas contribuições. Muitos dizem não trabalhar e por isso não dizimam e nem ofertam. Não preciso estar trabalhando, nem ter um salário fixo para ser fiel a Deus! Podemos contribuir de pequenas quantidades que ganhamos ex.: mesada, dinheiro para um lanche ou presente, etc. A Bíblia diz “Sê fiel no pouco que sobre o muito te colocarei”. O dízimo e a oferta lembram submissão, fidelidade, confiança no cuidado de Deus. Podemos também dizimar e ofertar o nosso tempo ao Senhor, nos envolvendo com os trabalhos na casa de Deus.

Conclusão: Quando entregamos os nossos dízimos e ofertas, estamos demonstrando nosso amor e dedicação a Deus. O motivo de contribuir deve ser o amor a Deus e à Sua Palavra. Submetendo toda a sua vida ao cuidado do Senhor. Com está atitude repreendemos o devorador e colheremos da semente que plantamos. Prostre-se diante do Deus Altíssimo e deixe-o cuidar de você. Quando seu coração quer ser fiel, não há barreiras. Se você não tem salário, dizime seus recursos, seu tempo, seu talento, para promover o reino de Deus.

Compartilhando na célula

O que você entendeu sobre o dízimo e as ofertas? Você pratica ou não?

Nenhum comentário:

Postar um comentário